Práticas de gestão para o uso eficiente da água em pomóideas e tomate de indústria

O projeto H2OptiDemo - Práticas de gestão para o uso eficiente da água em pomóideas e tomate de indústria, que congrega o Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional (COTHN-CC), a Federação Nacional das Organizações de Produtores (FNOP), a Hidrosoph, SA a Campotec, SA e a Torriba, SA foi, recentemente aprovado, e já em curso, tem o financiamento da entidade promotora, a Fundação Calouste Gulbenkian. 

Dando resposta ao repto proposto pelo Programa da Gulbenkian para o Desenvolvimento Sustentável, que tem como um dos principais objetivos para o desenvolvimento sustentável, estimular novas práticas de produção e consumo mais sustentáveis através do uso eficiente de recursos. No âmbito deste programa, a Gulbenkian dinamizou um concurso para projetos de demonstração de boas práticas na gestão da água de rega. 

Em resposta a este desafio surgiu o Projeto H2OptiDemo. Este projeto com a duração de um ano, pretende durante este espaço temporal tirar partido das valências que cada uma das entidades parceiras e como objetivo otimizar a demonstração de boas práticas na gestão da água de rega em maçã, pera e tomate de indústria nas duas principais zonas geográficas a nível nacional em que estas culturas são produzidas, o Oeste e o Ribatejo. 


Objetivos

No final do projecto, pretendemos:

- Aumentar o seu conhecimento sobre novos sistemas de gestão da rega inovadores, face aos cenários de alterações climáticas e avaliação do funcionamento dos sistemas de rega;

- Maximizar a capacitação para o uso de ferramentas de apoio à gestão, suportada em tecnologias de monitorização e no conhecimento do bom funcionamento dos sistemas de rega, adaptadas à sua realidade, de forma a aumentar do uso eficiente da água de rega no médio e longo prazo;

- Aumentar os conhecimentos do funcionamento dos sistemas de rega e capacitar para a utilização de soluções técnicas simples que permitam a quantificação da água de rega e a introdução à gestão da mesma ao longo do ciclo, tendo por base custo/benefício.

Estas competências, terão como resultado final a mudança de comportamentos para uma utilização eficiente da água, mas também a mudança de imagem do setor agrícola junto opinião pública e da sociedade em geral, pretendendo assim, esclarecer com evidencias, alguns setores da sociedade sobre a forma como atualmente se está a utilizar a água na agricultura intensiva.

Este projeto apoiado pela Fundação Gulbenkian, vai permitir, de forma muito concreta, contribuir para divulgar e apoiar a implementação de tecnologias para uma boa gestão da água de rega. Esperamos por isso, que este projeto tenha um impacto extremamente positivo e abrangente na transferência destas boas práticas para os produtores hortofrutícolas quer na região do Ribatejo e Oeste como noutras regiões hortofrutícolas a nível nacional.